a crise está em mim. a crise sou eu.










Saturday, January 09, 2010

hungarian magic
















depois de uma noite em que me deixei cair calçado vestido e vencido na cama. não é preciso foder para descobrir limites. o mundo fode-nos profundamente.

arrefece-nos enquanto adormecemos na rua, acorda-nos quando estamos prestes a sonhar, golpeia-nos para nos curvarmos pelo chão e amanhecer às escondidas com a crueldade de uma luz roubada ao nosso prazer roubado.

pois bem. levanto-me e cuspo no banco que deixo, regurgitando na rua que piso, e vou para casa fechar os olhos durante o dia que não vale a pena. enquanto não valer a pena.

ou a noite não se despir.
a noite está cheia de horas também.

2 comments:

Joao Tondela said...

Simplificadamente, o que o Nelsito quer dizer ao mundo, é que ontem apanhámos uma bebedeira de caixão à cova com um vinho que dizia Hungarian Magic. Depois separamo nos.

mikee* said...

ta muito complicado dizer k ficast todo fodido, a dormir na rua e com as chaves de casa no bolso! o refugio é de genio!